segunda-feira, 21 de junho de 2010

Karma e Dharma

Karma é uma palavra sanscrita que significa acção. Em termos simples, pode ser considerada como uma lei de causa e efeito. Tudo o que é semeado através de actos, pensamentos ou palavras nesta ou em encarnações anteriores tem uma consequência. Os seus efeitos não são necessariamente negativos, são apenas o resultado de um historial de ciclos de morte e renascimento. Tudo é energia e conforme a semeamos, é-nos devolvida.
A crença Hindu é de que a alma para se tornar madura necessita de várias vidas e em cada vida tem imensas oportunidades para melhorar e crescer.
Por vezes é erroneamente interpretado como destino, no entanto, é o acto de livre vontade que cria a nossa sina. É importante perceber que acoplado ao acto de agir de determinada forma temos sempre o livre arbitrio, a escolha de algo diferente. Por exemplo em vez de pensarmos que somo apenas de matéria, podemos pensar e sentir a divindade dentro do nosso coração e reconhecer esse lado quando tentamos não criticar com a nossa mente alguém ou algo.
De acordo com as escrituras, a Lei do Karma é universal e no Hinduismo são reconhecidos 3 tipos de karma.
Parabdha karma - é o que está a ser vivido no presente momento.
Samcita karma - o acumulado que ainda não deu frutos.
Agami (ou vartamana) - tudo o que semeamos no momento presente. Podem ser rosas ou urtigas. Predomina o livre arbítrio.
Como Lei Universal, Karma é também o conjunto de acções de grupo, por exemplo uma família, ou de uma nação. Neste caso destacamos as escolhas que delegamos ao grupo que podem ser politicas, religiosas, económicas.
Karma Yoga é a vivência consciente no presente, em que as escolhas são feitas para o mais alto bem. E para que haja certezas, esse bem reside no coração. Se a escolha o faz sentir em amor e confortável, esse é sem dúvida o caminho a seguir.  O Karma Yoga ajuda-nos à libertação da roda das reencarnações (samsara).

A palavra sanscrita dharma tem vários significados. Inserida em determinado contexto pode traduzir-se por ordem natural, virtude, conduta, lei moral, filosofia religiosa, modo de vida.
A Lei do Dharma ajuda-nos a perceber o lugar no mundo Cósmico em que todos temos uma finalidade na vida. Dotados de qualidades especificas, com uma cultura e inseridos em determinado meio, tudo leva a que sejamos únicos num todo. Essa especificidade acompanhada com um reconhecimento dos talentos de cada um, mais a finalidade de encontrarmos o divino em nós e por último o desejo de servir os outros é o dharma.
As perguntas que podemos colocar serão: "Como posso ser útil? Como posso ajudar?" As respostas permitem-nos perceber em que patamar estamos. Quando o servir é de amor, compaixão e desapego estamos a caminhar no nosso dharma.
Quando colocamos outro tipo de questões, como por exemplo, "O que é que eu ganho com isso?" podemos estar a fazer um pequeno desvio da nossa meta e certamente não estamos a relembrar o que somos.

"Jamais existiu um tempo em que eu não existisse, nem você... Nem há um futuro no qual deixaremos de existir." Sri Krishna

1 comentário:

Jorge Maia disse...

Obrigado energia pura.
O teu sorriso continua igual.Lindo.
Bjs